Consórcio de veículos atrai consumidores que estão fugindo do financiamento

Vinícius Basile, gerente administrativo do Consórcio Realize, com um cliente

Vinícius Basile, gerente administrativo do Consórcio Realize, com um cliente

Em tempos de crise, consumidores que pretendem adquirir o veículo dos sonhos, estão buscando cada vez mais os consórcios, fugindo das taxas propostas pelos financiamentos. A modalidade de consórcio também é bastante aceita entre pessoas que desejam economizar, utilizando o consórcio como uma espécie de ‘poupança’.

Ao aderir um consórcio, o consumidor passa a pertencer a um grupo administrado por uma empresa, tornando-se um integrante, cumprindo com as obrigações estabelecidas e pagando as parcelas mensais. Mensalmente ocorrem as assembleias onde há contemplações por sorteios, quando o contemplado recebe a ‘carta de crédito’, possibilitando a aquisição do veículo. Vale reforçar que o membro do grupo também poderá dar ‘lances’, antecipando algumas parcelas e, dando o lance mais alto, possibilitando a antecipação dos créditos.

De acordo com Vinícius Basile, gerente administrativo do Consórcio Realize, a procura por consórcios cresceu consideravelmente nos últimos meses, principalmente entre clientes que estão fugindo do financiamento. “O comportamento do consumidor brasileiro vem mudando nos últimos anos e a calculadora tem se tornado objeto indispensável, afinal, com as altas taxas de financiamento, o consumidor percebeu que o consórcio é um bom investimento. É bom a gente lembrar que no consórcio, o cliente não paga juros, apenas a taxa administrativa. Já quem opta pelos financiamentos, corre o risco de pagar o dobro do valor do veículo desejado”, lembra Vinícius.

FINANCIAMENTO X CONSÓRCIO

Vinícius ainda citou um exemplo, mostrando a enorme diferença entre financiamento e consórcio. “Num financiamento sem entrada, dividido em 60 vezes, o consumidor irá pagar ao final do financiamento cerca 96% a mais do valor contratado, ou seja, quase o valor de dois veículos. Já o sistema de consórcio, no mesmo prazo, seria cobrada apenas a taxa administrativa com o percentual total de aproximadamente 16%, no caso de automóvel”, exemplifica.

Ainda de acordo com o gerente administrativo do Consórcio Realize, há clientes que veem o consórcio como uma maneira de poupar dinheiro. “O consórcio também é visto como uma forma de fazer uma poupança, buscando a realização de um sonho, e isso tem se tornado uma grande vantagem para o consumidor, que vai atrás da compra do veículo, sem se endividar”, explica Vinícius.

E quem não perdeu tempo e já aderiu a esta ideia foi o comerciante Geraldo Ribeiro. “Fiz um consórcio pensando lá na frente, numa forma de juntar algum dinheiro. Na verdade, pra mim, o consórcio é a minha única poupança”, afirma o comerciante. Já o pedreiro César Albertino Silveira enxergou na prática do consórcio, a possibilidade de adquirir o seu primeiro carro. “É a forma ideal para quem não tem todo o dinheiro. Todo mês pago a minha parcela e já estou juntando um dinheiro a mais, para dar um lance. A minha moto foi adquirida através de consórcio e estou bastante satisfeito”, finaliza o pedreiro.

Outras informações sobre consórcios podem ser obtidas através dos seguintes contatos: (22) 3811-0600 / 3824-6060 / 99794-0847 WhatsApp.

Informação e foto: Eusébio Dornellas | Agência Comuniqque – www.comuniqque.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *